Mão feminina tocando em um vinho carmenere.
Postado em June 29, 2021 | por Mamma

Vinho Carménère: um sabor suave do início ao fim

7 minutos para ler

 

O que melhor do que um bom vinho para acompanhar as pizzas da Mamma? Essa é uma unanimidade entre os nossos wine lovers e conseguimos entender perfeitamente! Cada vinho tem o seu lugar especial na carta da Mamma, assim como a sua combinação perfeita, mas hoje vamos falar sobre um rótulo pra lá de importante para a Mamma: o vinho Carménère. 

Com a sua suavidade e presença, que muitas vezes pode dividir opiniões, o Carménère é considerado um vinho extremamente nobre. Sua criação é vista por muitos enólogos como um grande presente de Bordeaux para o mundo. 

A Mamma é apaixonada por vinhos de qualidade e, recentemente, agregou essa vinha aos rótulos da casa, deixando a carta de vinhos ainda mais maravilhosa. Aqui, entenderemos um pouco mais sobre a história, os aspectos e harmonizações do Carménère. 

Tudo pronto? Então, vamos! 

 

Origem

Ao contrário do que se imagina, a uva Carménère, tão conhecida por ter as suas melhores castas no Chile, nasceu na região de Bordeaux, na França. Na época, os seus gostos e aromas eram facilmente confundidos com uma uva popular na região: a Merlot

 

Vinícola de Carménère em Bordeaux.

Vinícola em Bordeaux, França. Foto: reprodução.

 

O plantio e a colheita do Carménère estavam acontecendo a todo vapor, quando a Europa foi surpreendida por uma praga, que devastou parte das videiras em funcionamento. Foi desesperador. Um pequeno inseto chamado Filoxera, com seus incríveis 3 milímetros, fez um estrago enorme. 

Acredita-se que essa praga tenha chegado ao continente europeu por meio da troca feita entre os viticultores norte-americanos e europeus, o que era bem comum na época para que pudessem estudar o enxerto de uvas, criando cada vez mais safras novas. 

Para a nossa sorte, um pouco antes dessa praga acontecer, houve um forte movimento de migração da Europa para América do Sul. Como já lemos por aqui, quando esse tipo de deslocamento acontece, existe uma forte troca entre as culturas e dessa vez não foi diferente. 

Os imigrantes trouxeram consigo algumas castas da uva Camérnère, achando que se tratava da uva Merlot. Lembra que falamos sobre como as uvas eram similares ali em cima? Uffa! Que bom para nós.

Após a praga, o tempo passou e com as vinícolas francesas completamente destruídas, passou-se a acreditar que a uva havia sido extinta. Foram aproximadamente 130 anos plantando Carménère no Chile, acreditando que se tratava de Merlot

 

Garrafa de vinho Carménère.

Garrafa de vinho Carménère, MJ. Foto: Derek Mangabeira.

Foi apenas na década de 90, mais especificamente no ano de 1994, no Chile, que o enólogo Jean-Michel Boursiquot reparou que havia algo de engraçado na cepa que até então era tratada como Merlot

Ele levou as uvas para análise e notou que havia uma diferença marcante entre elas: uma amadureceu em um tempo bem mais curto do que a outra. Segundo o site famiglia Valduga, essas vinhas ficaram conhecidas então como as uvas perdidas de Bordeaux.

Após a descoberta da sobrevivência da Camérnère, os vinicultores chilenos então adotaram a uva como um símbolo do país, dando o apelido de “Fênix das Uvas” por ter renascido em solo chileno mesmo depois de tantos anos esquecida. 

Até que o Ministério da Cultura pudesse reconhecer o Camérnère como uma casta oficial, passaram-se alguns anos, o que fez com que o primeiro rótulo fosse lançado apenas em 1998. 

Toda essa história carrega um sabor bem particular e características únicas, que fazem com que o Camérnère seja considerado um vinho importante.

 

Que tal aprender um pouco mais sobre as características dessa uva?

 

O aroma e o nome Carménère

 

Garrada de Carménère segurada por uma mulher.

Garrada de vinho MJ. Foto: Derek Mangabeira.

A uva Camérnère é conhecida pela sua tonalidade e intensidade de coloração. Seu vermelho forte e pungente deu origem inclusive ao seu nome, que em francês significa “Carmim”. Quando colhida no período certo de maturação, ela pode dar origem a castas com aromas de frutas vermelhas muito populares como cereja. 

Entretanto, existe também um estilo de colheita conhecida como Late Harvest, ou colheita tardia. Ou seja, mesmo quando é chegado o tempo da colheita, a uva permanece mais algumas semanas na vinícola, para que possa amadurecer ainda mais, criando características muito peculiares. Nesse caso, os vinhos nascidos dessa plantação darão espaço para sabores menos ácidos e bem mais suaves. 

Segundo o site Vem da Uva, “tradicionalmente, o aroma obtido de um bom Carménère deve ter uma combinação de frutas negras, terra molhada e um toque de pimenta preta. Mas os aromas variam de acordo com a forma de produção do vinho.”

No caso do Rótulo Carménère da Mamma, que é plantado e colhido no Chile, podemos degustar vinhos com um forte aroma de frutas vermelhas e sabor suave.

 

 

O sabor

Muitos enólogos afirmam que a descrição perfeita para o sabor do Camérnère estaria em um meio termo entre as uvas Merlot e Cabernet Sauvignon. Isso porque, o Merlot tem características um pouco mais fortes e encorpadas, enquanto o Camérnère transita tranquilamente entre os sabores um pouco mais suaves, com taninos aveludados. 

Caso queira um sabor um pouco mais marcante, com notas de baunilha e chocolate, é melhor apostar nas castas envelhecidas em barris de carvalho. Elas são capazes de adicionar um pouco mais de complexidade ao sabor do tão tradicional Camérnère

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a história, sabores e curiosidades do Carménère, que tal falarmos um pouco sobre as harmonizações deliciosas que conseguimos fazer com esse vinho?

 

 

As harmonizações do Caménère no menu da Mamma

Essa parte é uma das mais gostosas quando paramos para nos dedicar a entender um pouco sobre vinhos. As combinações ideais, que podemaflorar o sabor de qualquer prato ou pizza são incríveis e muito curiosas.

A dica da Mamma é: pense sempre em harmonizar o Camérnère com carnes fortes, queijos maduros, massas com molho de tomate, risotos e claro: pizzas! 

Aqui vão algumas sugestões da Mamma para você “se jogar” no menu com um bom Camérnère na mão!

 

Camérnère e Lasagna Alla Bolognese 

Esse prato é um clássico italiano que pode te fazer viajar no tempo, direto para a cozinha da nonna. Ele é feito de Ragù de carne bovina, molho de tomate e queijo mozzarella gratinado ao forno. 

 

Lasagna Alla Bolognese

Lasagna Alla Bolognese da Mamma. Foto: Derek Managabeira.

 

Seu sabor forte harmoniza perfeitamente com os taninos macios e marcantes do Camérnère da Mamma. 

 

Carménère e a Pizza Aglio e Pepe

Essa é uma combinação que pode ser um pouco inesperada, mas que funciona perfeitamente devido ao forte sabor que nasce por meio da mistura entre o alho e a pimenta na pizza da Mamma. Junto com um Carménère é uma junção de tirar o fôlego!

 

Carménère e Gnocchi Di Baroa con Filetto e Funghi

O Gnocchi da Mamma, que já conquistou um lugar especial no coração de quem nos acompanha, é um espetáculo harmonizado com o Carménère. Imagine só: Nhoque de Baroa com tiras de mignon, mix de cogumelos e azeite trufado. Tudo isso em perfeita harmonia com os sabores frutados do Carménère da Mamma. É uma maravilha!

 

Gnocchi Di Baroa Con Filetto e Funghi.

Gnocchi Di Baroa Con Filetto e Funghi. Foto: Derek Mangabeira.

 

Ficou com água na boca? Visite uma das casas da Mamma para experimentar o nosso rótulo, ou então peça por delivery! Esperamos você, Wine Lover.

SHARE: