Imagem preto e branco de Silvana Mangano sorrindo.
Postado em June 4, 2021 | por Mamma

Silvana Mangano: uma musa da sétima arte

3 minutos para ler

 

Já conversamos muito por aqui sobre as musas da Mamma: elas são mulheres extremamente inspiradoras que, de uma forma ou de outra, marcaram a história de forma absolutamente autêntica.

Hoje vamos nos aprofundar sobre a história de uma das musas que estampa algumas das baias da Mamma: Silvana Mangano, a atriz que vem conquistando gerações ao longo dos anos com a sua multiplicidade de talentos.

 

A História de Silvana Mangano

Em Abril de 1930, nasceu em Roma a artista Silvana Mangano. Sempre muito interessada por processos artísticos de forma geral, em sua adolescência Silvana começou a frequentar diversos cursos de dança clássica em Milão.

Em uma dessas aulas, ela foi então notada por um produtor, graças a sua beleza completamente fora da curva. Assim, a musa iniciou trabalhos esporádicos como manequim, o que a levou ao primeiro grande passo de sua carreira: participar do Miss Itália.

Silvana acabou ficando em segundo lugar no concurso. Após esse momento, ela foi convidada para alguns trabalhos, mas sempre como figurante. Apenas em 1949, ao fazer o teste para o filme “Arroz Amargo” que a vida da atriz começou a tomar outras direções.

 

Arroz Amargo e o Sucesso de Silvana Mangano

Silvana Mangano olhando para o horizonte.

 

A musa tinha apenas 19 anos e pouquíssima experiência como atriz quando decidiu se arriscar no teste do filme, que parecia ser apenas mais um. O que ela não sabia é que, além de seu talento, a sorte também estava a seu favor.

Nessa época, a Itália atravessava um período árduo devido ao pós-guerra, o que acabou alterando também a forma de fazer cinema. É nesse momento que a indústria cinematográfica italiana passou a optar por mulheres mais reais para ocupar as telonas. Por isso, os diretores italianos começaram a escolher mulheres que não necessariamente eram atrizes, mas que transmitiam segurança e a vera energia italiana para participar dos filmes. Assim, algumas outras musas também foram lançadas mundo a fora, como: Sophia Loren, Claudia Cardinale e Monica Vitti.

Ao realizar o primeiro teste para o filme “Arroz Amargo”, Silvana Mangano foi imediatamente recusada. Isso porque, segundo os produtores, ela estava muito arrumada, com maquiagem carregada e um vestido com muita classe.

Entretanto, algum tempo depois ela se encontrou com o diretor Giuseppe De Santis na Via Veneto, uma das mais famosas ruas de Roma. Chovia muito nessa ocasião, o que deixou a artista molhada, sem maquiagem e bem desarrumada: era a simplicidade que ele esperava para as personagens do filme.

Dessa forma, De Santis a convidou para um novo teste, o que garantiu à Silvana o papel de protagonista no filme Riso Amaro. Lançou-se então, um dos primeiros filmes do gênero neorrealista na Itália, sendo reconhecido internacionalmente.

Na trama, a atriz interpreta uma camponesa que trabalha em um campo de plantação de arroz devastado pelo pós-guerra. O drama envolve romance e é extremamente interessante para quem tem interesse no recorte histórico da época.

Após o lançamento do filme, Silvana virou um forte símbolo de beleza e sensualidade, tornando-se parte do legado cinematográfico italiano. A musa então foi convidada para participar de algumas produções “holliwoodyanas”, mas acabou recusando os convites.

Por sua persistência e força, Silvana Mangano ficou marcada na história como uma mulher à frente de seu tempo. Por isso, a Mamma a homenageia usando seu nome para estampar algumas de nossas baias em nossas casas. 

Quer saber mais sobre as mulheres que inspiram a Mamma? Então, leia nosso artigo “Conheça as musas della Mamma”.

SHARE: