Foto da atriz e cantora Lina Cavalieri em preto e branco
Postado em December 7, 2021 | por Mamma

Lina Cavalieri: uma musa clássica e pop

5 minutos para ler

La Donna Più Bella Del Mondo – Esse era o apelido de Lina Cavalieri, um dos rostos italianos mais marcantes da Bella Époque. Além de chamar a atenção por sua beleza, Lina foi reconhecida internacionalmente por sua voz e atuação, concretizando-se na  história como uma mulher à frente do seu tempo. 

A Mamma é apaixonada por histórias como a da Lina. Por isso, seu nome estampa uma de nossas baías na casa do Recreio, como uma homenagem a história de uma mulher inesquecível. Vamos desbravar um pouco mais dos detalhes sobre a vida da mulher mais linda do mundo?! Andiamo!

 

A História de Lina Cavalieri 

 

Lina Cavalieri

É em Florença, no dia 25 de Dezembro de 1874 que nasce Natalina Cavalieri. Seu nome, inspirado na data, nos revela também um pouco mais sobre a história da família de Lina, que era super religiosa.

Quando a musa completa 15 anos, é surpreendida pela morte repentina dos pais, o que a faz ficar sob a tutela do estado, que decide então a colocar em um orfanato católico. Lina não aguenta as demandas e pressões da vida religiosa, que pouco tinham a ver com a sua essência. Algum tempo depois, em um ato de coragem , ela acaba fugindo com uma companhia de teatro. 

Assim que chega em Paris, é surpreendida: sua beleza marcante abre muito mais portas do que ela poderia imaginar. Ela começa a cantar em bares e cafés da cidade luz e aproveita a oportunidade para guardar dinheiro. Paralelo a isso, ela se dedica também a aulas de canto com professores renomados. Em 1900, Lina faz sua primeira apresentação como cantora de ópera em Pagliacci, em Lisboa. 


A Carreira de Lina

Após sua primeira apresentação, Lina muda-se para Monte-Carlo, cidade no distrito de Mônaco, onde permanece até 1905, quando conhece a atriz Sarah Bernhardt, uma mulher absolutamente brilhante e com uma carreira consolidada em Paris. 

Sarah convida Lina para fazer parte da sua equipe teatral e a nossa musa embarca em mais uma aventura: desbravar novos palcos, agora como atriz. Na cidade, ela conhece o tenor italiano Enrico Caruso, com quem protagoniza a ópera Fedora.

Devido ao sucesso das apresentações, Lina e Caruso são convidados para fazer espetáculos no Metropolitan, em New York. Ela permanece na cidade durante toda a temporada de ópera, de 1909 a 1910. 

Logo em seguida conhece Robert Winthrop, um nome da aristocracia estadunidense e se casa com ele. Entretanto, o casamento dura pouquíssimo tempo, visto que o casal se separa no meio da viagem de lua de mel. 

Após o divórcio, a musa voa para São Petersburgo, se estabelecendo na cidade Russa, onde se concretiza como uma das cantoras de ópera mais respeitadas do mundo. Nesse momento, ela conhece seu segundo marido, o também cantor Lucien Muratore, com quem gravou alguns discos. 

 

Salão Lina Cavalieri

Cansada da vida no país gelado, Lina anuncia sua volta para Paris em 1914, assim como sua aposentadoria. Aqui, conhecemos uma nova face da musa. Ela começa a empreender, e investir em um salão de beleza, voltado para a elite parisiense. 

Ela começa também a produzir uma linha de cosméticos, que rapidamente vira uma febre entre as mulheres e a consolida no mercado. Essa sequência de sucessos a leva a escrever em colunas jornalísticas ao redor do mundo, dando dicas de beleza.


Entretanto, Cavalieri nunca abandonou de fato a vida artística. Gravou alguns longas como Sposa Nella Morte!, 1915 e La Rosa di Granata, 1916. Com a ascensão da Primeira Guerra Mundial, ela foge da Europa para se exilar nos Estados Unidos. 

 

Ingresso do show de Lina

No continente Americano ela entra de vez para a indústria de Hollywood, gravando diversos filmes como A Woman of Impulse, 1918 e The Two Bridges. Ela decide retomar para Paris em 1920, com o fim da guerra. A cidade é palco da última gravação da artista para os cinemas, com o filme L’Idole Brisée

Nesse momento, ela volta a empreender deixando para trás de vez a carreira como atriz e focando em um novo produto: um perfume, com o nome de Mona Lina, fazendo referência a pintura de Da Vinci.

Quando a Segunda Guerra Mundial tem início, Lina está morando em Florença. Ela se voluntaria como enfermeira, para ajudar a diminuir os danos causados pelos conflitos.


Em 07 de Fevereiro de 1944, a
mansão de Lina Cavalieri e seu marido, Paolo d’Arvanni, é bombardeada durante um ataque das forças aliadas à Itália. 

Ambos foram encontrados muito próximos à entrada para o abrigo subterrâneo, o que faz os especialistas acreditarem que, ao ouvirem o aviso de bombardeio, eles permaneceram na casa, em busca de salvar jóias e obras de artes. Todas as pessoas que trabalhavam para o casal sobreviveram, pois conseguiram chegar a tempo ao abrigo. 

Lina Cavalieri Design

Lina tinha 69 anos quando faleceu, mas seu legado segue firme até os dias de hoje. Ela ficou eternizada como o belo rosto por trás das obras do designer italiano Piero Fornasetti, que estampa diversos itens decorativos, como almofadas, canecas e quadros. 

Nossa! É muita história por trás desse rosto, músicas e filmes tão marcantes, não é? Assim como Lina, a Mamma tem muito orgulho de carregar o nome de mulheres italianas excepcionais em suas baias e falamos um pouco mais sobre elas nesse artigo aqui! Clica pra ver!

 

 

SHARE: